Venda de veículos cai 7,6% em fevereiro e tem o pior desempenho desde 2006

As vendas de veículos novos no País caíram 7,59% no mês passado, comparativamente a igual período de 2016, segundo balanço divulgado nesta quarta-feira, 1º, pela Fenabrave, entidade que representa as concessionárias de automóveis.

Frente a janeiro, houve queda de 7,84% nos emplacamentos. Nesse caso, a comparação é distorcida pelo calendário comercialmente mais curto em razão do feriado de Carnaval. Na prática, o mês terminou para o setor na última sexta-feira, fazendo com que fevereiro tivesse um resultado final menor, embora tenha registrado melhora do movimento diário nas lojas.

Ainda que feita essa ressalva, o desempenho ficou em patamar baixo mesmo se comparado a outros períodos de calendário igualmente curto da série histórica, registrando as piores vendas em um mês em quase onze anos. Entre carros de passeio, utilitários leves – como picapes e vans -, caminhões e ônibus, 135,7 mil unidades saíram das concessionárias no mês passado, o menor número mensal desde abril de 2006 (131,2 mil). Se considerados apenas os resultados de fevereiro na série histórica, o volume foi o mais baixo desde 2006.

O desempenho levou o setor a terminar o primeiro bimestre com 282,9 mil veículos novos vendidos, o que representa uma queda de 6,36% na comparação com 2016 e o pior volume, entre períodos equivalentes, também em onze anos.

Apenas no segmento de carros de passeio e comerciais leves, 132,4 mil unidades foram vendidas no mês passado, recuo de 6,82% na comparação anual. Em relação a janeiro, a queda foi de 7,77%.

Na média, as concessionárias venderam 7,4 mil carros a cada dia que abriram as portas, 830 a mais do que elas entregaram a cada dia útil de janeiro. Contudo, para efeito de comparação, três anos atrás, a média diária passava de 12 mil.

O primeiro bimestre terminou, então, com 276 mil unidades vendidas – entre automóveis de passeio e utilitários leves -, total 5,42% inferior ao dos dois primeiros meses de 2016.

Termômetro da atividade econômica, as vendas de caminhões também não param de encolher, marcando, no mês passado, queda de 31,68% na comparação com fevereiro de 2016. Ante janeiro, os emplacamentos, de 2,6 mil caminhões, recuaram 11,19%, fazendo com que o segmento encerrasse o primeiro bimestre com 5,6 mil unidades licenciadas, queda de 32,04%.

O balanço da Fenabrave mostra ainda que as vendas de ônibus, de 647 unidades em fevereiro, recuaram 27,38% na comparação com igual período do ano passado e 8,49% em relação a janeiro. Nos dois primeiros meses de 2017, 1,4 mil coletivos foram vendidos, 36,88% abaixo do primeiro bimestre do ano passado.