Varejo tem o pior Dia dos Pais em 3 anos com inflação e alta do juro

As vendas do comércio para o Dia dos Pais cresceram 3,4% entre os dias 9 e 11 de agosto deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado, informou nesta segunda-feira, 12 de agosto, a Serasa Experian.pais dia

Na semana que antecedeu a data comemorativa (5 a 11 de agosto), o avanço foi de 3,3%. Os dois números representam a menor expansão para a data nos últimos três anos, aponta a instituição.

Apenas na cidade de São Paulo as vendas para o Dia dos Pais cresceram 3% na semana e 2,3% no fim de semana da comemoração.

De acordo com a área técnica da Serasa, a desaceleração no ritmo de crescimento revela que o consumidor está mais cauteloso diante da perda de poder aquisitivo, da inflação e do aumento dos juros, levando-o a preferir pagar dívidas.

“De olho no Dia das Crianças e no Natal, o consumidor endividado tem evitado novos parcelamentos”, diz nota divulgada pela empresa.

Vendas a prazo. A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) também avaliam que a data apresentou o pior resultado nos últimos três anos em relação às vendas a prazo.

A expansão foi de 3,78% ante 4,75% em 2012. A diferença é ainda maior quando comparados os desempenhos de 2011 e 2010: 6,86% e 10%, respectivamente. O resultado deste ano leva em conta as vendas parceladas realizadas entre os dias 3 e 10 de agosto.

“Alta dos juros e baixa empregabilidade foram os responsáveis pela desaceleração do setor”, segundo nota da CNDL e do SPC. Mas não houve surpresa. Na avaliação do presidente da CNDL, Roque Pellizzaro Junior, a retração no setor já era esperada pela maioria dos comerciantes.

“O cenário econômico é desfavorável. Os juros estão mais caros e o Brasil não cria tantos empregos como nos últimos anos, o que é fundamental para aquecer o consumo interno. Além disso, a inflação acima do centro da meta reduz o poder de compra do brasileiro”, diz Pellizzaro Junior.

Os produtos mais procurados neste Dia dos Pais foram os itens de vestuário, perfumaria, calçados, bebidas e artigos eletrônicos.

Fonte: Guilherme Waltenberg, da Agência Estado