Um Capiau

Maiane

No Dia da eleição

Chega um Capiau

Na zona eleitoral

E pergunta para um dos eleitores:

_Quem foi que morreu? Não foi parente meu!

O outro responde:

_ Seu Zé do caixão você está bêbado?

_ Uai eu tô mais intendido qui você! Purque me falarum qui iam colocar o hômi na urna… qui outra urna a não ser a  funerária! E eu como não gosto de perdê um velório vim aqui ajudá interrá o defunto… mas pelo visto vocêis tão é querendo desinterrá o hômi!

_ Ah seu Zé do caixão… hoje é dia de votar você não sabe? A gente pega o número do santo e dependendo da zona coloca ele na urna de papelão ou na urna eletrônica!

_ Ôxe eu bebo e tú fica bêbado hômi onde já se viu santo ni zona, pois tu num sabe que lá é lugar de prostituta? Se não bastasse isso, ainda vão prender o bichinho numa urna?! Vocêis são uma ruma de bandido! Pobre coitado do Santo! Me dá mais uma dose aí pra chorar a morti dos hômis, purque já ouvi falá que agora são 05, já aumentarum o número… gente da cidade é tudo sem perincipios, assassínios. Eu qui num sô besta de sê santo fico com minha dose, senão também vou acabá é na urna, vô simbora pra minha roça qui lá eu mato é onça das braba e ninguém si meti comigo, quando não, eu boto o caboclo é no caixão.

Maiane tirinha

Formada em Letras Vernáculas pela Uneb/campus X
Pós-graduada em Ensino de Língua Portuguesa e Literatura/ Uniasselvi
Pós-graduada em Educação de Jovens e Adultos (Eja) / Uneb