Após debater temas como “literatura de autoria negra”, “resistência” e “representações”, o ciclo de oficinas do projeto “Escritoras Negras da Bahia” (E-negras) chega à reta final. As palestras seguem até esta quinta-feira (20/07), no Extremo Sul baiano.

Ministrada pela doutoranda em Teoria e História Literária da Unicamp, Raquel Galvão, a oficina “Literatura e tecnologia — Mídias e mobilizações em rede” acontece nos dias 17 e 18/07, em Prado. Já “A magia da mulher negra: poéticas e estéticas das cineastas negras”, ministrada pela doutora em Comunicação e Cultura da UFRJ, Kênia Freitas, será realizada nos dias 17 e 18/07, em Alcobaça, e 19 e 20/07, em Prado.

Escritoras Negras da Bahia

Lançado no Mês Nacional do Escritor e no Mês Internacional da Mulher Negra Latino Americana, ambos comemorados em 25 de julho, e em reforço à Década Internacional de Afrodescendentes, decretada pela ONU entre 2015 e 2024, o projeto “Escritoras Negras da Bahia” reúne o trabalho de poetas, contistas, romancistas e artistas literárias e dá acesso a grupos minoritários à arte e literatura.

Idealizado pela escritora baiana Calila das Mercês, mulher negra, jornalista e pesquisadora em literatura, com apoio financeiro do Governo do Estado, por meio do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda, Fundação Cultural e Secretaria de Cultura da Bahia, o projeto, além das oficinas e palestras, conta com o website www.escritorasnegras.com.br, lançado no dia 7 de julho, e um e-book bilingue (Português e Inglês), com textos acadêmico-culturais relacionados à negritude e à autoria negra.