Telexfree: divulgadores devem comprovar vínculo para serem ressarcidos

telexfreeEstimativa é que 1,5 milhão de usuários cadastrados com os CPFs válidos faziam parte do negócio em todo o país

Na última semana, a Justiça do Acre condenou a Ympactus Comercial, representante da Telexfree no Brasil, a pagar R$ 3 milhões de indenização por danos morais coletivos a quem investiu na empresa. Para ter de volta os valores investidores no negócio, é preciso compravar o vínculo com a empresa. A estimativa é que 1,5 milhão de usuários cadastrados com os CPFs válidos faziam parte do negócio em todo o país. Somente no Acre, cerca de 40 mil pessoas aderiram. Ouça detalhes dessa entrevista no áudio acima, a partir da minutagem 10’30”

Segundo informações do Ministério Público do Acre, para ter direito à devolução cada divulgador deve procurar o poder judiciário de sua cidade portando a cópia da sentença judicial e um comprovante de domicílio. O divulgador sem documento deve procurar um advogado ou defensor público para conseguir na Justiça a comprovação de vínculo com a Telexfree .

A Telexfree começou a atuar no país em março de 2012, vendendo planos de minuto de telefonia pela Internet.  A pedido do Ministério Público do Acre, foi proibida de operar em junho de 2013, acusada de pirâmide financeira. A prática econômica é proibida no Brasil. A reportagem não conseguiu contato com representantes da empresa.