Resenha Crítica‏

Maiane DIÁLOGOS INTERTEXTUAIS: UM CONTRAPONTO ENTRE A OBRA FILMÍCA “DIÁRIO DE UM ADOLESCENTE” E A CONCEPÇÃO CONTEMPORÂNEA DA ADOLESCÊNCIA”.

Maiane Pires Tigre

“A verdadeira história do fim da inocência e o nascimento de um artista.”

(D.A.)

                   O filme Diário de um adolescente dirigido por Scott Kalvert, duração102 min, ano:1995, do gênero drama, narra o curso da vida, de modo especial, a adolescência, estágio turbulento do desenvolvimento humano vivido pelo personagem Jim, protagonista da história, interpretado pelo ator Leonardo Di Caprio. O elenco é formado pelos seguintes atores: Bruno Kirby Jr., Lorraine Bracco, Ernie Hudson, Patrick McGaw, Juliette Lewis, John Vennema, Mark Wahlberg, Michael Rapaport.

             O filme referenciado trata-se de uma adaptação do livro de Jim Carrol, relato autobiográfico de sua adolescência problemática. Leonardo DiCaprio ganha vida no  papel de Jim, um adolescente que não apenas  joga no time de basquete da escola, mas sobretudo, joga com a sua própria vida,   alargando o rol das  experiências mais inusitadas e irresponsáveis vividas por ele:  evadindo-se do nível da consciência para atitudes inconscientes, e não -definidas por si mesmo, abandonando a inocência pueril e imergindo no reduto das drogas e prostituição.

                  Ele se vicia e aos poucos, seu mundo de fama, sucesso e auto-suficiência vai desmoronando. A adolescência, precioso estágio do seu  desenvolvimento humano,  é marcado por um contexto de fortes influências deflagradas no contexto sócio-histórico ao qual ele  pertence, composto de outros adolescentes jogadores associados a todos os tipos de vícios,  por uma educação rígida e arbitrária, bem como uma relação  familiar  falida, instâncias da vida social que o conduz a atos delitivos como roubar e drogar-se.

            O percurso de um adolescente pode ser compreendido sob o ponto de vista científico “enquanto fase distinta do desenvolvimento a um período caracterizado por diferentes níveis de turbulências”. (SENNA, p.101, 2012).

             Os estudos contemporâneos sobre a adolescência descrevem-na como fase primordial ao desenvolvimento humano, ademais esta fase adquiriu espaço na área da psicologia, tornando-se tema de renovado interesse. É importante reiterar, que, de acordo com a primeira fase  dos processos de desenvolvimento  na adolescência, a  presença dos impulsos tanto sexuais, quanto agressivos são pontos fulcrais para o estudo e compreensão dos aspectos da personalidade adquirida e delineada neste estágio de vida, sob a  visão de  Senna, ( 2012) a respeito da perspectiva psicanalística:

Esta perspectiva preconizou que a pessoa é dotada de um reservatório  de impulsos biológicos básicos, identificando a emergência  de determinado aspecto da sexualidade humana a cada fase distinta do ciclo vital. Assim na adolescência ocorre a reativação, na forma madura e genital de vários impulsos sexuais e agressivos experimentados pela criança nas fases iniciais  do seu desenvolvimento (oral, anal e edípica). A intelectualização  é o mecanismo de defesa adotado pelo adolescente para lidar com a sua revolta emocional, conduzindo-o a mudar os seus interesses a questões concretas do corpo para questões mais abstratas, isentas de emoção.(p. 102).

                 O personagem Jim vai aprendendo à medida que passa por um processo adaptativo de ganhos e perdas, conquistas e repetidas derrotas, por meio das quais, externa os seus  impulsos agressivos e sexuais até então recalcados, incorporando uma “revolta emocional”, possível graças a  desintegração do sujeito sociocultural e histórico. Precursor da teoria do desenvolvimento psicossocial, Erick Erickson(1968/1976) defende a integração da psicanálise à antropologia, frisando o impacto das experiências sociais na vida de um adolescente. De maneira que, as crises enfrentadas pelos mesmos, correlacionem-se a uma etapa natural, e necessária para ser superada em suas vidas.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

O Diário de um adolescente. Direção de Scott Kalvert, (baseado no livro de Jim Carroll). Roteiro de Bryan Goluboff,  EUA: New Line Cinema, 1995, 102 m.

SENNA, Sylvia Regina Carmo Magalhães; DESSEN, Maria Auxiliadora. Contribuições das Teorias do Desenvolvimento Humano para a Concepção Contemporânea da Adolescência. Psicologia: Teoria e Pesquisa. UNB, vol. 28, n. 1,  pp. 101-108, Jan-Mar 2012.

Maiane tirinha

Formada em Letras Vernáculas pela Uneb/campus X
Pós-graduada em Ensino de Língua Portuguesa e Literatura/ Uniasselvi
Pós-graduada em Educação de Jovens e Adultos (Eja) / Uneb