Presidente de empresa esportiva é criticado por estar fora de forma

As ações da Lululemon, empresa canadense fabricante de roupas para a ioga, não andam bem ultimamente. Desde a apresentação do novo presidente-executivo da companhia, Laurent Potdevin, no dia 17 de abril, os papeis da companhia caíram 14% na Bolsa de Valores Nasdaq –além disso, não há previsão de aumento nas vendas para 2014.

O jornal americano “New York Post” conversou com dois acionistas que disseram que um dos motivos da desconfiança dos investidores é a aparência física de Potdevin, que não seria adequada para uma marca que vende vestuário esportivo. Um deles observou que, em uma apresentação, Potdevin usava roupas largas, com uma camisa para fora da calça que não conseguia esconder a barriga saliente.

 

Acionistas dizem achar que aparência física de Laurent Potdevin não é adequada para uma marca que vende vestuário esportivo
Acionistas dizem achar que aparência física de Laurent Potdevin não é adequada para uma marca que vende vestuário esportivo

“O papel do presidente-executivo é personificar a marca”, disse ao site Business Insider o copresidente-executivo da empresa de design Siegel+Gale, David Sere. “Se alguém me perguntar se ele faz ioga regularmente e é um cara em forma, eu diria que não.”

A empresa Lululemon não quis comentar as críticas a Potdevin.

Robert Damon, presidente para as Américas da Korn/Ferry International, uma companhia que atua na seleção de executivos, disse ano passado que esses profissionais devem ficar atentos à forma física: jovens profissionais exigem isso deles. ” Se um CEO está acima do peso, bebe muito e fuma, passa uma mensagem para os mais jovens”, afirmou.