Preço da energia pode cair pela metade

 

ECONOMIA_3_15-04

A proposta está aberta para consulta pública e pode receber contribuições até 10 de novembro

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) apresentou, na terça-feira (15), a proposta de mudança para os preços mínimo e máximo da energia no mercado de curto prazo, o Preço de Liquidação de Diferenças (PLD).

Segundo a proposta do órgão regulador, o novo preço máximo seria de R$ 388,04 por megawatt-hora (MWh), e o novo valor mínimo, R$ 30,26 por MWh, que valeriam a partir de janeiro de 2015. Atualmente, o teto do PLD está fixado em R$ 822,83 e o mínimo em R$ 15,62.

Os novos valores se baseiam na substituição da usina térmica que hoje é utilizada como base para o limite máximo de PLD. A nova térmica seria a de Mario Lago, movida a gás.

Para o piso, a proposta reflete a remuneração das usinas que tiveram a concessão renovada segundo os parâmetros da Lei 12.783/2013. O valor remunera apenas a operação e a manutenção das usinas.

Ainda de acordo com a Aneel, os preços refletem o comportamento do PLD nos últimos dez anos. Segundo o órgão, nesse período, apenas duas vezes o preço da energia chegou ao teto, em 2008 e em 2013, e por apenas uma semana.

Em 2014, o PLD permaneceu no teto por várias semanas entre fevereiro e maio. A proposta está aberta para consulta pública e pode receber contribuições até 10 de novembro. Uma audiência presencial acontece em 3 de novembro. Fonte: Correio24horas