Postos da PRF de Porto Seguro e Itamaraju serão unidades administrativas

Está em execução, com a conclusão prevista para o dia 20 deste mês, o projeto de Readequação da Estrutura Operacional (REO) da 9ª Delegacia da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que prevê a ‘readequação da estrutura operacional da delegacia, que abrange todo o extremo sul baiano, até que se possa ter um quantitativo de efetivo proporcional à demanda’.
A readequação tem como principal ponto, a transformação dos atuais postos de Porto Seguro e Itamaraju, em Posto de Atendimento ao Usuário da Rodovia (PAUR), unidades com nova nomenclatura, atribuições e horário de atendimento – das 8h às 12h e das 13h às 17h, de segunda a sexta-feira.

Posto da PRF de Porto Seguro passará a ser unidade administrativa; Parte da sociedade é contra | Foto: Blog do Miolo Baiano
Posto da PRF de Porto Seguro passará a ser unidade administrativa; Parte da sociedade é contra | Foto: Blog do Miolo Baiano

De acordo com o documento, ao qual O RADAR 64 teve acesso, os dois postos passarão a funcionar recebendo e encaminhando recursos, boletins de acidentes e documentos, prestação de informações aos usuários e apoio a equipes de fiscalização.
Dessa forma o policiamento ostensivo, as ações de fiscalização e o atendimento às ocorrências ficarão por conta das equipes das unidades operacionais de Eunápolis e Teixeira de Freitas, que contarão com o apoio [três vezes por semana, em dias pré-determinados] de duas Equipes de Apoio Operacional (EAO) a serem criadas nessas duas unidades. Policiais das PAUR farão parte dessa equipes.
Essa nova composição administrativa se dá em razão do baixo número do efetivo da PRF na 9ª Delegacia, sediada em Eunápolis, que atualmente conta com menos de 60% do que é considerado ‘ideal’.
Com essa readequação, a PRF espera ter mais equipes nas estradas sob sua jurisdição e melhor prestação de serviços à sociedade. Pelo menos esse foi o resultado obtido na região de Ibotirama (BA), onde, de acordo com o chefe da 9ª Delegacia, Agnaldo do Nascimento Filho, o sistema foi implantado de forma piloto, no final de 2011.
REAÇÃO

Vereador Paulo César Onishi, o Paulinho Tôa Tôa, presidente da Câmara, é contrário à medida | Foto: Hugo Santos/RADAR 64
Vereador Paulo César Onishi, o Paulinho Tôa Tôa, presidente da Câmara, é contrário à medida | Foto: Hugo Santos/RADAR 64

A mudança de status da unidade de Porto Seguro foi tratada na Câmara Municipal como uma espécie de desativação, o que causou reação contrária. Em sessão recente, os vereadores aprovaram por unanimidade um requerimento que reivindica aos deputados federais representantes do município, interceder junto ao governo federal, visando a ‘ permanência’ do Posto da Polícia Rodoviária Federal’ local.
O documento [apresentado pela reportagem] foi visto pelo chefe da Delegacia da PRF de Eunápolis, que o classificou como ‘um erro’, uma vez que o posto não será desativado. O inspetor considerou que a Câmara elaborou e aprovou um documento sem conhecer o assunto e afirmou que, antes de elaborá-lo e aprova-lo, o legislativo deveria ter procurado a instituição para se informar sobre o assunto, e criticou: ‘não é bom papel da Câmara se deixar levar por boatos’.
A crítica foi rebatida pelo presidente da casa legislativa, Paulo César Onishi, o Paulinho Tôa Tôa. Ao falar com a reportagem do RADAR 64, o presidente do legislativo reconheceu não haver procurado a PRF para se informar melhor sobre a questão, mas disse ter ouvido a denúncia de ‘pessoas conhecedoras do assunto e de credibilidade’.
O presidente afirmou que cabe à Câmara, sim, defender os interesses da comunidade portosegurense e reafirmou que ‘o legislativo está correto em requerer dos representantes do município, interceder junto ao governo federal’.
O vereador disse que o funcionamento da unidade da PRF de Porto Seguro, na forma como está previsto, vai ser danoso ao município: ‘Porto Seguro precisa ser vista com um olhar especial; é um destino turístico importante, para onde vêm milhares de pessoas todos os anos e precisa de atenção especial’.
Para o parlamentar, o não funcionamento do posto da PRF à noite e nos fins de semana vai permitir o aumento do tráfico de drogas na cidade. ‘O posto [da PRF] funciona como um filtro aqui. As pessoas veem funcionando e isso coíbe em parte o trânsito de bandidos, a entrada das drogas. Com ele fechado, os traficantes vão ter as portas abertas’, criticou Paulinho. Fonte: Radar 64