A página “Criança Viada” foi retirada do ar nesta quinta-feira (14) pelos administradores do Tumblr, onde era hospedada, após receberem denúncias de internautas sobre uso inapropriado de imagens de menores de idade.

A plataforma também alertou o responsável da conta, Iran Giusti, com a seguinte mensagem: “Distribuição de pornografia infantil viola não apenas a política do Tumblr, como é um crime e os condenados podem enfrentar graves penalidades como multas e encarceramento”.

Giusti acredita que o desligamento de sua conta esteja relacionado ao fim da exposição do “Queermuseu”, uma vez que o seu conteúdo inspirou a artista plástica Bia Leite a criar a obra “Travesti da Lambada e Deusa das Águas” (2013), uma das responsáveis por críticas de visitantes nas redes sociais.

Desde a criação do “Criança Viada”, em 2012, Giusti recebe constantes reclamações, mas “nunca a respeito de pedofilia”.

Ele conta que começou o perfil como brincadeira, para discutir expressões de gênero “como meninas masculinizadas e meninos afeminados”.

Giusti diz que nunca utilizou fotos de crianças nuas ou em posições sexuais, e que obteve permissão dos fotografados para o uso das imagens. Por isso, as acusações sobre pornografia infantil, para ele, são descabidas.

“Não falamos sobre a homossexualidade na infância porque a gente entende que a sexualidade vai surgir a partir da adolescência.”

Após o cancelamento, Giusti pretende migrar para alguma outra plataforma, mas quer a garantia que o conteúdo não será excluído. “Foi um dos Tumblrs brasileiros mais acessados em 2012”, diz ele, que contabiliza que a página teve mais de 2 milhões de visualizações.

Procurado, o Tumblr não se manifestou até a publicação desta nota.

PROMOTORIA

Na terça-feira (12), o promotor Julio Almeida, do Ministério Público do Rio Grande do Sul, analisou a exposição e disse à Folha que a mesma não contém “imagens de crianças simulando relações sexuais, nem exposição de genitália de crianças para fins primordialmente sexuais”, considerados incitação à pedofilia de acordo com o ECA (Estatuto da Criança e Adolescente).

A mostra “Queermuseu” estava em cartaz desde 15 de agosto no espaço Santander Cultural em Porto Alegre. A exposição contava com 270 obras, assinadas por 85 artistas, como Adriana Varejão, Candido Portinari, Lygia Clark, Yuri Firmesa e Leonilson. Com informações da Folhapress.