Mulheres teixeirenses participam dos 16 dias de ativismo pelo fim da violência

mulheres-teixeirensesTeixeira de Freitas: No início da manhã deste sábado, 29 de novembro, mulheres de vários órgãos como Conselho Municipal da Mulher, DEAM, Secretaria de Assistência Social, Secretaria de Educação, Maçonaria, Grupo da paróquia São Pedro Legião de Maria, Associação Amada, entre outros, se reuniram para uma ação, no semáforo próximo ao Supermercado Faé. No sinal vermelho elas chamavam a atenção com panelas, tampas, apitos e faixa, para o combate a impunidade e violência contra as mulheres.

Uma a cada 3 mulheres sofrem algum tipo de violência de gênero durante sua vida, e aproximadamente 120 milhões de mulheres são agredidas sexualmente ou violentadas antes de chegarem aos 20 anos. Para abordar essa importante questão, a ONU Mulheres e outras agências das Nações Unidas do Brasil, promovem 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher, uma ação global que vai ocorrer até dia 10 dezembro, que se comemora Dia dos Direitos Humanos.

E o Conselho Municipal de Teixeira de Freitas com apoio de vários parceiros, aderiram à campanha e estão participando destes 16 dias de ativismo. “Com essa ação estamos chamando a atenção para essa praga que vem assolando as mulheres de nossa cidade, que é a violência, e a cada batida de panela agente grita pedindo apoio para que as politicas públicas sejam implantadas no município”, disse Katiane Rosa, presidente do Conselho Municipal da Mulher.

Segundo a delegada Kátia Cielber Guimarães Garcia, da Delegacia Especializada de Atendimento a Mulher de Teixeira de Freitas (DEAM), a violência doméstica atingiu um nível crítico. E por causa da gravidade deste fenômeno foi sancionada, em agosto de 2006, a Lei Maria da Penha, considerada uma das maiores conquistas das brasileiras. “Queremos lembrar a você mulher, que não está sozinha, estamos aqui para agir, e que violência é qualquer ato ou conduta baseada no gênero, que cause morte, dano, sofrimento físico, sexual ou psicológico, tanto na esfera pública como na privada”, chama a atenção à delegada da DEAM.

Se você sofre algum tipo de violência, não fique calada. Ligue (73) 3011.2754 ou disk 180, existe toda uma equipe pronta para combater a violência contra as mulheres. Por: Mirian Ferreira/Liberadadenews