MP, PM e Sincomércio combatem venda clandestina de gás em Teixeira de Freitas

As entidades ligadas à sociedade organizada estão comemorando o resultado da campanha que reduziu praticamente para zero a venda clandestina de gás de cozinha na cidade de Teixeira de Freitas. Há quase 2 anos o Sincomércio – Sindicato do Comércio Atacadista e Varejista de Teixeira de Freitas – liderou uma campanha neste sentido e convocou o Ministério Público Estadual e o 13º Batalhão da Polícia Militar para que integrassem ao trabalho. Na época, o promotor de Justiça José Dutra Júnior iniciou a missão, que atualmente vem sendo comandada pelo promotor Fábio Fernandes Corrêa.

Conforme o empresário Flávio Guimarães de Pádua, presidente do Sincomércio, o resultado positivo da campanha só foi possível graças ao empenho dos promotores José Dutra e Fábio Fernandes, do ex-comandante da PM tenente-coronel Osíris Cardoso e do atual comandante da Polícia Militar, tenente-coronel Paulo Silveira, que tiveram tamanha importância no combate à prática dos chamados boqueiros. Estes que vinham colocando a vida da sociedade em risco pela forma que armazenavam e vendiam estas botijas de gás. No início da fiscalização se detectou mais de 250 pontos clandestinos na cidade e agora praticamente zerou este método infracional nesta fase de outubro de 2013.

Segundo o promotor de Justiça Fábio Fernandes Corrêa, titular da Promotoria Regional Especializada de Meio Ambiente da Costa das Baleias e, atualmente, respondendo pela  6ª Promotoria Municipal de Meio Ambiente, Urbanismo, Direito do Consumidor e Cível da 2ª Vara, a campanha com o trabalho de fiscalização e a aplicação de algumas sanções contra pessoas que insistiram na prática ilegal, ajudou a conscientizar a própria população que deixou de alimentar estes boqueiros e passaram a procurar seu gás em estabelecimentos devidamente autorizados pelos organismos competentes e além disso, os donos de depósitos deixaram de abastecer estes vendedores ocultos. Mas o promotor avisou que o Ministério Público Estadual vai continuar vigilante em relação à prática em Teixeira de Freitas. Por Athylla Borborema/ Teixeira News