Mostra de fotos lembram 25 anos da morte de Raul Seixas

935189-rj_raul seixas-3-2O cantor e compositor Raul Seixas morreu há pouco mais de 25 anos, em agosto de 1989. Um dos pioneiros do rock brasileiro, ele foi homenageado hoje (3) no Teatro Sesi, no centro do Rio. O destaque é a exposição Raul em Preto e Branco, com fotos inéditas do artista, datadas de 1973, ano em que ele lançou o álbum Krig-ha, bandolo! , alcançando notoriedade nacional.

As imagens são de autoria do falecido fotógrafo Cláudio Fortuna, conhecido pelos registros de grandes nomes da música popular brasileira. São dez fotos do show de lançamento do álbum, em 16 de outubro de 1973, no extinto Teatro Tereza Rachel, em Copacabana, zona sul do Rio. As imagens mostram o gestual marcante do cantor.

“A exposição é a realização de um sonho. Conhecia o material, sabia da beleza dele, mas nunca tive oportunidade de ampliar as fotos”, revelou a curadora Kika Seixas, viúva de Raul. Ela comprou os negativos de Fortuna, de quem era amiga.

“Fiquei apaixonada não só pelo gestual, mas pelas letras das músicas e textos do Raul. Assisti ao show 11 vezes”, lembra Kika, que, à época, não imaginava que, seis anos depois, não seria apenas mais uma integrante da legião de fãs do artista, mas sua mulher e empresária. Segundo ela, as fotos da exposição, em grandes ampliações, estão do jeito que Raul gostava. “Ele adorava o preto e branco”, disse.

A programação do evento no Teatro Sesi inclui, amanhã, às 19h30, a exibição do filme Raul – O Início, o Fim e o Meio, de Walter Carvallho. Produzido em 2012 e premiado em festivais nacionais e internacionais, o filme conta a trajetória de Raul Seixas por meio de depoimentos de parentes, artistas, produtores musicais e amigos, entre eles Paulo Coelho, Caetano Veloso, Nelson Motta e Marcelo Nova.

Na quarta-feira (5), às 19h30, será apresentada a montagem de Raul Fora da Lei – a História de Raul Seixas. Com roteiro de Luis Arthur Nunes e José Joffily, que também assina a direção, a peça é um monólogo musical, que mostra relação do artista com as mulheres, sua espiritualidade, frustrações, seus anseios e sonhos. Baseada em textos do próprio Raul, interpretado pelo ator Roberto Bomtempo, o musical conta com o som da Banda M-743.

Os ingressos para o espetáculo teatral custam R$ 10. O filme e a exposição terão entrada gratuita. Montada no saguão do teatro, a exposição estará em cartaz até 5 de dezembro. A visitação é de segunda à sexta-feira, das 10h às 20h. O Teatro Sesi fica na Avenida Graça Aranha, 1, no centro do Rio.