Moradores do Ulisses fecham BA-290 em protesto

A principal reivindicação dos moradores é a pavimentação asfáltica da avenida, principal via de acesso ao bairro, que ficou totalmente esburacada por conta das chuvas do último final de semana

protestoApós mais de 7 horas de protesto, os moradores do bairro Ulisses Guimarães encerraram a manifestação que iniciou no final da manhã desta segunda-feira, 1º de abril, na avenida Estados Unidos, “Ladeira do Ulisses”, e foi estendida a rodovia BA-290, que ficou bloqueada até às 16 horas na saída para Medeiros Neto.

A principal reivindicação dos moradores é a pavimentação asfáltica da avenida, principal via de acesso ao bairro, que ficou totalmente esburacada por conta das chuvas do último final de semana.

Na manhã de segunda-feira, 31 de março, máquinas da prefeitura estiveram no local e patrolaram a avenida, mas as chuvas voltaram a cair e o que antes era buraco virou lama.

Durante o início da manhã, automóveis ficaram impedidos de passar pela avenida e até ônibus do transporte público tiveram que alterar a rota para cumprir os itinerários. Acidentes também foram registrados no local.

Durante toda a manhã os moradores mantiveram a interdição da rua exigindo a presença de algum representante da prefeitura. Sem respostas, já no início da tarde, os manifestantes desobstruíram a passagem, mas levaram o protesto para a BA-290.

O movimento mobilizou a Polícia Militar e Rodoviária Estadual, além do Corpo de Bombeiros. O comandante do 13º Batalhão, tenente-coronel Silveira, também esteve no local junto com demais oficiais militares.

Por volta das 14 horas, o secretário de Infraestrutura, Henrique da Ceplac, e o chefe de Gabinete, Cláudio Guaraná, tentaram uma negociação com os manifestantes.

Representantes da comunidade do Ulisses se reuniram por volta das 15 horas com o secretário e o chefe de gabinete na Prefeitura Municipal, onde assinaram um acordo sobre a realização da pavimentação asfáltica da avenida Estados Unidos.

Segundo assegurou Henrique da Ceplac, o prazo para realização do asfaltamento é de, no máximo, 90 dias. O secretário explicou que a obra já está licitada, e o que teria atrasado sua execução seria a falta da peça para manutenção da máquina que aplica o asfalto.

Outra alegação para o atraso da licitação seria a necessidade de investimento emergencial na saúde, segundo o chefe de Gabinete, Cláudio Guaraná.

Henrique garantiu, ainda, que além do asfaltamento da Estados Unidos, a prefeitura fará estudos para calçamento das demais ruas do bairro. O secretário disse também que já foram feitas a manutenção da cabeceira da ladeira e colocadas manilhas, porém, se necessário, serão realizados novos aterros e instalação de novas manilhas e tubos de esgoto.  Fonte:  Sulbahianews