Mensagem em celular ajuda a polícia a impedir roubo

Diversas mensagens e fotografias enviadas pelo aplicativo whatsapp, para um celular apreendido com Marcelo Souza de Santana, o “Zara”, possibilitaram à policia impedir um assalto em Guaratinga, planejado por um foragido da Justiça do Rio de Janeiro, identificado como Matson Ribeiro de Souza, o “Nem”.

Ele foi preso por policiais civis e militares, no domingo (4), em companhia do comparsa Jhonatan Wellington Aguiar Pithon, quando ambos chegaram àquela cidade, onde pretendiam roubar R$ 150 mil, segundo consta numa mensagem de texto lida pelos investigadores no celular de “Zara”.

Matson Ribeiro de Souza, o 'Nem', estava foragido do Rio de Janeiro
Matson Ribeiro de Souza, o ‘Nem’, estava foragido do Rio de Janeiro | Foto: PC

Interrogados pelo titular da Delegacia Territorial de Guaratinga, delegado Sinézio Vieira Júnior, os criminosos não informaram quem seria a pessoa ou estabelecimento vítima do assalto, a ser praticado, segundo apuraram os policiais, com armas fornecidas por “Zara”. A desarticulação da quadrilha teve início no dia 29 de abril, com a apreensão de um adolescente, em Guaratinga, flagrado com uma porção de maconha, ao lado de Marcelo, também encaminhado à unidade policial.

Ao investigar o conteúdo do celular encontrado com Marcelo, a equipe da Delegacia de Guaratinga visualizou uma série de mensagens, detalhando o assalto, bem como fotos do veículo com o qual “Nem” viria para a cidade, e de Jhonatan Wellington, que conduziu o carro entre Macaé, no Rio de Janeiro, e a Bahia. Em um das mensagens, “Zara” é apontado como o homem que indicaria o local do roubo.

Com um mandado de prisão expedido pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, Matson Ribeiro de Souza ficará custodiado em Guaratinga, até ser transferido para o seu estado de origem. Marcelo e Jhonatan foram indiciados em inquérito policial pelo delegado Sinézio Vieira Júnior, que vai analisar o conteúdo de dezenas de outras mensagens nos celulares dos três assaltantes, indicando o planejamento e a realização de mais crimes. Por Pauta Diária com informações da PC