Mãe senta em meio à lama para chorar a morte do filho

mãe choraPor questão de segurança o nome dela, bem como o seu endereço, serão mantidos em sigilo, mas foi comovente uma cena ocorrida por volta das 22h deste domingo (22), no bairro Luiz Eduardo Magalhães, em Teixeira de Freitas, quando uma mãe desesperada pelo homicídio do filho, sentou-se na rua de chão batido e mesmo em meio à lama proveniente das últimas chuvas que caíram na cidade, pegou o corpo do jovem no colo, o beijou insistentemente e lamentou sua morte prematura.

A vítima, Noberto Antônio de Souza Júnior, de 24 anos, foi executada com nada menos que sete disparos de arma de fogo, quando caminhava com a esposa na rua Cristal, bairro Luiz Eduardo, região oeste de Teixeira de Freitas. A esposa de Noberto, Cristiane Silva dos Santos  Nascimento, mais conhecida como “Loura”, de 29 anos, também foi atingida por seis tiros e está internada no Hospital Municipal (HMTF).

Segundo informações levantadas pela polícia, os dois assassinos chegaram a pé, aproximaram do casal e dispararam várias vezes, principalmente em direção a Noberto, que morreu na hora. A execução está sendo investigada pelo delegado Manoel Andreeta, de plantão na noite deste domingo, dia 22, no Serviço de Investigação em Local de Crime (SILC). Na manhã desta segunda-feira (23), uma testemunha disse à polícia que, na realidade eram quatro assassinos, esses que chegaram em duas motos, supostamente de 50 cilindradas, sendo que dois deles pararam um dos veículos em uma esquina próxima e seguiram a pé na tentativa de executar o casal.

A cena da mãe abraçada ao corpo do filho chocou aos moradores que presenciavam o trabalho da Polícia Técnica. Ela só soltou o filho morto após ser acalmada por familiares e pela própria polícia, já que o corpo precisou ser removido ao IML para exames de necropsia. A motivação do crime ainda é desconhecida, mas o delegado Andreeta apura uma informação, dando conta que Noberto teria tido uma bicicleta furtada recentemente e após descobrir o autor do furto, foi em sua casa e exigiu a devolução da mesma. Esse fato passa a ser uma das prováveis causas do crime. (Por Ronildo Brito)