Letras de Esperança

Maiane

Pra quem tiver do outro lado aí,
Bom dia, ó minha comadre,
Boa tarde, ó meu compadre,
Dona Raimunda, Benedita,
Joãozinho, Seu Quézinho,
Seja manhã, tarde ou noite,
Café com pão, arroz e feijão,
Ué cadê a carne?
Esquenta o ovo,
Que a fome já chegou,
Sem rodeio, ande logo,
O papo aqui é teórico, duro,
Mas dá conta de quem sou,
Do caminho que andei, de sol a sol,
Cada enxadada, cada calo,
Cada letra saindo magicamente dos meus lábios,
Cada som do meu palavreado,
Fala vivamente da força sobrenatural de homens
Que como eu não largaram o arado,
Nem o saber das primeiras letras, do meu nome,
Entre tantos outros nomes por aí,
Tive certeza que agora, a minha história seria outra,
A esperança havia voltado e se escondera sob as telhas do meu velho e cansado coração.Maiane tirinha

Formada em Letras Vernáculas pela Uneb/campus X
Pós-graduada em Ensino de Língua Portuguesa e Literatura/ Uniasselvi
Pós-graduada em Educação de Jovens e Adultos (Eja) / Uneb