Justiça descobre celulares, academia e até churrasco em presídio para PMs

presidio-para-pms-rio-de-janeiro-brasil-policiaUma megaoperação envolvendo órgãos do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), da Polícia Militar e do Ministério Público descobriu que policiais militares presos no Instituto Penal Vieira Ferreira Neto, em Niterói, tinham regalias como churrascos, pipa, celular, sessões com DVD e até feijoada.

A operação foi realizada durante esta terça-feira (10) na nova Unidade Prisional da Polícia Militar (antigo BEP), que foi transferida de Benfica para Niterói. A mudança de endereço ocorreu após a agressão – inclusive a pauladas – de quatro presos contra a coordenadora de fiscalização da Vara de Execuções Penais (VEP), juíza Daniela Barbosa Assumpção, há um mês.

A troca, no entanto, não mudou o cenário de mordomias e irregularidades. Foi descoberto que detentos recebiam jornal na porta, tinham aparelhos para academia, DVDs, celulares, churrasqueira, portaria sem cadeado e visitas sem registro em livro.

O diretor, tenente-coronel Murilo Sérgio Angelotti, autorizava até que o Conselho Disciplinar, procedimento de investigação, fosse feito dentro das celas. Com 236 presos PMs, o pente-fino realizado nesta terça foi o maior já feito em uma unidade prisional pela VEP, Ministério Público e corregedoria da PM.

Foram mobilizados 140 homens e apreendidos 15 celulares – dois dentro de restos de uma feijoada servida na segunda-feira (9) – outros em caixa de sabão em pó, 37 facas, R$ 5 mil, dois aparelhos de DVD, duas tendas, além de material de obras que, segundo informações, estavam sendo usados pelos presos para fazer melhorias nas celas, o que é proibido.

FONTE: MEIA-HORA