Júri não é realizado e ex-prefeito vai ficar mais tempo sem julgamento

O júri popular que julgaria o ex-prefeito de Itapebi, Esmeraldo Costa Santos, marcado para esta segunda-feira (19), no Salão do Júri do Fórum Mário Albiani, na cidade de Eunápolis, foi remercado para 7 de julho.

Promotor de Justiça Dinalmari Mendonça e juiz Otaviano Andrade, durante anúncio da suspensão do júri
Promotor de Justiça Dinalmari Mendonça e juiz Otaviano Andrade, durante anúncio da suspensão do júri

O julgamento não foi realizado em razão do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJ-BA) não dispor do valor necessário para a realização do júri.
‘Conforme consta no ofício encaminhado pelo TJ-BA, o valor disponível para as despesas era de apenas R$ 500,00, quando seriam necessários R$ 4.500,00 para o custeio das despesas com jurados, hotel e outras’.
Além dessa questão financeira, o advogado João Neto, do ex-prefeito, pediu o adiamento da sessão por 90 dias. Ele alegou não ter condições de fazer o Júri por estar doente, se preparando para tratamento quimioterápico.
O ex-prefeito de Itapebi e os outros dois envolvidos, os policiais aposentado Aristides Neri e Dari Gomes Marinho são acusados do assassinato do então presidente do Legislativo daquele município, Gilberto Rodrigues Esteves, conhecido como Giba, que ocorreu na noite de 11 de junho de 1995.

O então prefeito é acusado de ser o mandante do crime. Fonte Radar 64