JC Oficina Mecânica: polícia apreende moto e peças adulteradas; suspeitos presos

Por volta das 18h de quarta-feira, 6 de agosto, policiais militares deram uma batida na JC Oficina Mecânica (oficina de motos), de propriedade de José Cássio Alves de Barros, mais conhecido como “Acássio”, 42 anos, morador da rua Nilo Peçanha, no Centro da cidade. O “Acássio” e mais duas pessoas, Rafael Araújo da Silva, 21, e Luiz Carlos Alves Barros, 39, foram conduzidos para a Delegacia Territorial de Teixeira de Freitas.xcasio2.jpg.pagespeed.ic.v2PT5Tt8l6

Segundo os militares, um homem foi preso em Itamaraju, acusado de roubo a motos, e, ao ser questionado, disse que o veículo estaria na referida oficina. Os policiais foram confirmar a informação e apreenderam a motocicleta já com o chassi raspado. Trata-se de uma moto Honda CB 300, de placa policial OLF 1955. Ainda segundo a polícia, a moto tem uma restrição de roubo, conforme ocorrência 2309/2014, registrada na Delegacia Territorial de Itamaraju, no dia 4 de agosto.

Além da referida moto, a polícia apreendeu mais cinco motores Honda, com numeração adulterada; uma moto Yamaha YBR, chassi 9C6KE043040027857, sendo que o chassi não confere com a placa ostentada na moto [JOB 8117]; uma moto Honda Tornado com chassi ilegível e sem placa policial, cujo motor encontrado nesta Tornado pertence a moto CB 300, placa OLF 1955. Foi apreendido também R$ 710 e um cheque no valor de R$ 500,00.

Os policiais alegam que na referida oficina ainda tem diversas outras peças e veículos não identificados. A delegada plantonista Maria Luíza está investigando o caso. Em entrevista à nossa reportagem, o “Acássio” informou que o Rafael e o Luiz Carlos são seus funcionários. Quanto à moto, ele disse que foi procurado por uma pessoa, a qual só conhece de vista, e que esta pessoa disse a ele que tinha essa moto financiada, com prestações em atraso, a chamada “Pokemon”, e que precisava vendê-la.xcasio1.jpg.pagespeed.ic.rKNa1JinwO

“Eu consultei a moto, como sempre faço antes de comprar qualquer veículo, e a mesma não possuía restrição de furto/roubo. Imaginei que se tratava mesmo de um ‘Pokemon’ e paguei R$ 2.500,00 (dois mil e quinhentos reais) por ela, que é o preço de mercado, para veículos [motos] desta marca e modelo, com restrição no banco”, disse. Questionado sobre as outras motos, ele disse que são motos de clientes, motos documentadas, e as outras são motos e motores sucateados de leilão, mas que são legalizados.

Segundo informações, já chegaram muitas denúncias sobre a referida oficina em Teixeira de Freitas. É de conhecimento de todos que o número de roubo a motos vem crescendo consideravelmente em nossa cidade e nas circunvizinhas. Muitos desses veículos são usados pelos bandidos para a prática de crimes, outros são comercializados na zona rural, áreas de pouca ou nenhuma fiscalização da polícia. A maior parte desses veículos é desmanchada em oficinas, que vendem as peças.

Os três acusados foram autuados pela delegada Maria Luíza por crime de receptação. A delegada entendeu que os funcionários estavam desmanchando as motos e também têm participação. Foi arbitrada uma fiança no valor de R$ 18.000,00 para cada um. Se os acusados pagarem a fiança, poderão responder em liberdade. Caso não pague, só poderão sair da prisão mediante ordem judicial. Fonte: Liberdadenews