Ismael assume assassinato de Cassiane, mas, nega estupro

Nesta terça-feira, dia 17 de março, o Fórum de Teixeira de Freitas esteve movimentado, com forte aparado policial, presença de testemunhas e de Ismael de Jesus Morais, de 27 anos, acusado de assassinar de maneira cruel a adolescente Cassiane Lima dos Santos, de 15 anos, crime ocorrido no último dia 27 de novembro de 2014, quando ela fora asfixiada em sua própria casa, à rua 3, no bairro Cidade de Deus, na periferia da cidade. A menor, quando foi atacada pelo assassino, dormia sozinha em um dos dormitórios do imóvel, já que seus pais tinham saído pra trabalhar.ismael

O corpo de Cassiane foi encontrado pela polícia cinco dias após o crime, na terça-feira (2/12/2014), enterrado numa cova rasa, dentro de um matagal, às margens da estrada de Itaitinga, em território de Alcobaça. A equipe do delegado Marcus Vinícius, coordenador da 8ª Coorpin, chegou ao local da ocultação do cadáver levada pelo próprio criminoso.ismael2

O assassino, Ismael de Jesus Morais, de 27 anos, era vizinho da vítima e na época em que foi preso, sustentou a hipótese de ter assassinado a adolescente em virtude de ter medo que a mesma lhe entregasse para a polícia, já que era acusado de envolvimento em roubos de veículos. Na época da prisão do assassino, a polícia também descobriu que uma ex-mulher de Ismael também havia desaparecido misteriosamente de Teixeira de Freitas, após sair de casa dizendo que iria para um evento festivo com o então companheiro.

E nesta terça-feira, dia 17 de março, o juiz Argenildo Fernandes, titular da Vara Crime da comarca de Teixeira de Freitas, comandou a primeira audiência de instrução criminal, quando, além de ouvir o acusado, também formalizou depoimentos de testemunhas de acusação.cassiane

Durante o seu depoimento, Ismael de Jesus Morais, de 27 anos, confessou o homicídio e a ocultação do cadáver da jovem Cassiane, alegando ter asfixiado a menor fazendo uso de um pedaço de arame, pelo fato de três dias antes do crime, quando estaria no quintal de sua casa, ter ouvido a menor dizer em voz alta “que ladrão tinha que ser preso”. E como ele [Ismael] havia sido detido anteriormente sob acusação de envolvimento em roubo de veículos, supostamente presumiu tratar-se de uma ameaça.

O criminoso ainda relatou durante seu depoimento que um conhecido seu, que ele não deu o nome, havia sido preso em 2013 com um carro roubado em Nanuque/MG, e que o mesmo relatara que desconfiava que teria sido a jovem Cassiane a pessoa responsável por ter avisado a polícia, culminando na localização do veículo, bem como na casa onde residia o acusado.

Ainda durante o depoimento, Ismael fora perguntado se ele havia estuprado a adolescente Cassiane antes de assassiná-la, o que foi negado. Sobre o sumiço de sua ex-esposa Josiane Costa Gomes, o assassino relatou desconhecer.

A expectativa, principalmente por tratar-se de um crime de homicídio, por motivo torpe e sem que a vítima tivesse qualquer possibilidade de defesa, é certo que Ismael será levado a júri popular, em data ainda a ser definida pela Justiça. Se condenado, Ismael de Jesus Morais, de 27 anos, pode pegar uma pena de até 30 anos de prisão. Por Ronildo Brito/TN