Funceb realiza campanha de valorização ao circo

Objetivo de série de entrevistas é divulgar o trabalho dos artistas. Gravação na Dimas foi iniciada com Luiz Milton Lago, o Palhaço Chupeta

Uma série de entrevistas e gravações com artistas circenses para filmagens referentes à campanha de valorização ao circo foi iniciada esta semana, pelo O Núcleo de Artes Circenses (NAC), da Diretoria das Artes (Dirart) da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb). “A ação tem como objetivo dar visibilidade a esses artistas e fomentar a valorização ao circo”, detalha Vika Mennezes, coordenadora do Núcleo. A primeira gravação aconteceu nesta segunda-feira, 15 de agosto, na Dimas – Diretoria de Audiovisual da Funceb, Barris.

Luiz Milton Lago, conhecido como Palhaço Chupeta, foi entrevistado. Ele falou sobre sua trajetória artística e sobre o Circo Dallas, que fundou em 1977. Ao final das gravações com os entrevistados da série, pílulas serão publicizadas nas mídias digitais institucionais. A Funceb é uma entidade vinculada a Secretaria Estadual de Cultura (Secult).

Sobre Luiz Milton Lago – Nascido em 1943 em Catu, interior da Bahia, Luiz Milton Lago já trabalhava como locutor de touradas, aos 14 anos. Aos 16 anos iniciou o trabalho no Circo Pinga Fogo, onde, além de apresentar e fazer números cômicos começou a participar de peças teatrais na segunda parte do espetáculo do circo. Dez anos depois, conheceu sua atual esposa, filhas do dono do circo Irajá, casaram-se em 1977 compraram uma lona de circo e montaram o Circo Dallas.

Há 57 anos o Palhaço Chupeta se dedica as atividades relacionadas às artes circenses. Ele teve o livro de autoria de Aléxis Góis: Palhaço Chupeta: História e causos sob a lona do Circo Dallas, publicado em 2012, com o apoio da Funarte – Prêmio Carequinha de Estímulo ao Circo. Atualmente ele é membro titular do Colegiado Setorial de Circo da Bahia.