Federal do Sul da Bahia terá 1ª aula dia 11 de setembro

 De 11 a 15 de agosto, na Universidade do Estado da Bahia (Uneb) campus x, em Teixeira de Freitas, aconteceu o 5º Seminário de Planejamento da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). O evento foi o último antes da aula inaugural da universidade, que será no dia 11 de setembro. Os outros quatro: foram dois em Porto Seguro e o mesmo número em Itabuna. Reuniu os profissionais dos três campi (Itabuna, Porto Seguro e Teixeira de Freitas).UFSB
Segundo a vice-reitora pro tempore da UFSB Joana Angélica Guimarães, “o seminário é de trabalho, onde discutimos as primeiras aulas, os componentes curriculares, a forma de organização, os professores que ficarão responsáveis por cada uma das disciplinas, incluindo os que vão ficar em Porto Seguro, em Teixeira e Itabuna. E discutido também a própria distribuição de cargos entre os professores; e a metodologia de ensino que será aplicada neste primeiro momento”. O corpo docente do campus Paulo Freire é formado por 90 professores – 87 doutores e 3 mestres. Está previsto concurso que elevará para 150 este número até o começo de 2015.
Metodologia de ensino
Quanto à metodologia de ensino, professora Joana Angélica explica o que faz da UFSB diferente das demais universidades neste aspecto, relatando, por exemplo, o fato de não haver, como tradicionalmente há nas instituições de ensino, um professor exclusivo para uma disciplina. Na UFSB, o educador dará aula dentro de sua área específica, no entanto, deverá haver uma real interdisciplinaridade, uma integração entre os conteúdos e matérias. Além disso, no que tange os discentes, o projeto de ensino da Federal do Sul da Bahia conta com os Colégios Universitários (Cunis), onde os estudantes permanecerão por três anos, estando aptos a concorrerem a uma vaga no curso superior ofertado no campus de sua região caso assim deseje.
“Teremos os colégios universitários, e neste primeiro ano os alunos terão formação geral, independente da área de atuação, o curso que vão fazer, terão disciplinas iguais. Estes componentes curriculares, ao contrário do que tradicionalmente se vê, não terão uma disciplina específica para cada professor. Neste primeiro momento, cada professor, claro, dará aula dentro de suas especialidades, mas, compartilhando. A ideia é que o aluno de Teixeira, o de Porto e o de Itabuna tenham aulas que sigam a mesma metodologia, para que a gente compatibilize isso”, afirmou.
Projeto de ensino dividido em ciclos
Ela ainda ressalta que esta forma de ensinar objetiva contribuir para que, futuramente, os alunos possam concorrer, teoricamente, com as mesmas chances, sendo que o projeto de ensino é dividido em ciclos, nos quais consta a matrícula nos Colégios Universitários (Cunis) onde serão ofertados os Bacharelados Interdisciplinares (BI) em ciências, artes, saúde e humanidades pelo Instituto de Humanidades, Artes e Ciências (IHAC) – foram, no total, 720 vagas dividas para três campi, em Porto Seguro, em Itabuna, e o Paulo Freire, em Teixeira; todos puderam disponibilizar 240. Em Teixeira, 180 já foram ocupadas por meio do Enem/Sisu, o restante será através de edital a ser divulgado pela UFSB esta semana, onde também será usada a nota do Enem, porém, com critérios próprios da universidade.
Um ano de formação geral nos Cunis
Nos Colégios, farão um ano de formação geral, em seguida, passarão a cursar uma das quatro área dos Bacharelados Interdisciplinares (saúde, ciências, artes ou humanidades) ofertados pelo IHAC, cuja duração é de 3 anos, recebendo o diploma de bacharel ao término. Caso queiram dar prosseguimento, concorrerão a vaga no curso específico dentro da área do BI. “Nosso projeto está dividido em ciclos. No primeiro momento todos os alunos terão bacharelados interdisciplinares, só depois escolhem a carreira. O aluno entra em um BI em saúde e três anos depois é que ele opta pela medicina, se ele confirmar que quer mesmo medicina, aí ele completa o curso de medicina. Este formato de universidade tem que fazer com que os alunos tenham a mesma trajetória para evitar que os de Teixeira tenham um tipo de aula diferente dos de Itabuna, porque em segundo momento eles disputarão vagas”, explica Joana.
Nova Viçosa e Mucuri terão dois Cunis
Teixeira terá dois Cunis, sendo que um ficará em Itamaraju, e ainda sediará o IHAC. Itamaraju, Mucuri, Nova Viçosa, Prado, Itanhém, Medeiros Neto e Caravelas completam os locais que receberão os colégios integrantes do CampusPaulo Freire. A vice-reitora esclarece que Nova Viçosa e Mucuri terão dois Cunis abrangendo os municípios. Para facilitar para os estudantes, alunos da sede de Nova Viçosa e Mucuri serão atendidos em Mucuri. O outro Cuni será no distrito de Posto da Mata/Nova Viçosa, que por ser perto de Itabatã, atenderá ao distrito mucuriense. Quanto à Prado e Alcobaça, decidiu-se que haverá apenas o Cuni de Prado, que, por sua vez, atenderá a Alcobaça. Ela explica que a instalação dos Colégios requer cautela, pois, “tem uma série de medidas que precisamos tomar, uma delas é quanto à infraestrutura dos colégios, a segunda é quanto à metodologia, não queremos abrir muitos colégios porque estamos testando uma metodologia e queremos testar devagar para acertar os ajustes necessários”. Especificamente ao caso de Prado e Alcobaça, disse: “Estamos ainda definindo o funcionamento em alguns locais, nada impede que futuramente possamos oferecer nos dois locais, vai depender do número de professores, infraestrutura etc. Com o tempo, estudaremos isto”.
Cetepes
Campus Paulo Freire, inicialmente, funcionará no Centro Territorial de Educação Profissional do Extremo Sul (Cetepes), onde algumas salas foram cedidas para a universidade e, conforme professora Joana, está em negociação uma ala do local para que o campus permaneça no Cetepes. Em Itamaraju, será no Colégio Modelo.
Recursos financeiros
A universidade, de acordo Joana Angélica Guimarães, possui recursos suficientes para ser implantada. Ela considera como problemas apenas as questões burocráticas que terminam por atrasar um pouco a execução de atividades necessárias. “As universidades hoje não têm tido tanto problema na questão financeira. A gente tem tido mais problemas na execução por conta das exigências legais, a questão burocrática é maior empecilho que o fator financeiro. Até o momento, estamos tranquilos com relação a isso. Os recursos necessários para esta implantação estão garantidos, já foram disponibilizados.”
Reflexos na economia teixeirense
A vinda da Universidade Federal do Sul Bahia alavanca a economia de Teixeira e região. Conforme Joana, 17 professores já fixaram residência na cidade, comprando casas e seguindo movimentando o comércio com suas necessidades diárias, além disso, serão mais de 200 servidores técnico-administrativos, pessoas da própria cidade e das circunvizinhas empregadas. Cita-se ainda outras contratações como zeladores, guardas, pedreiros etc. A UFSB também contribuirá para solidificar o nome de Teixeira como polo educacional. Fonte: Jornal Alerta