Experiência para a vida toda: o 5º Encontro de Cordas deixou muito mais do que saudades

Foi uma semana e tanto, mais precisamente, foram seis dias (de 17 a 22) de música, correria, agitação e corações acelerados. Teixeira de Freitas mais uma vez se tornou a capital da música erudita no estado. O 5º Encontro de Cordas do Instituto de Cultura, Educação e Desenvolvimento – ICED chegou ao fim, mas as experiências e os ensinamentos estão eternizados na memória e nos sentimentos dos cerca de 300 meninos e meninas inscritos. A edição 2017, com o tema “Do Erudito ao Tropicalismo” foi um sucesso de público e de crítica.

A edição 2018 já está sendo planejada e essa “onda do bem” não pode acabar. Afinal, o Encontro de Cordas é um gerador de conhecimento, um fortalecedor cultural e uma ferramenta de potencial turístico.  Para cada dia, uma aventura com centenas de personagens.

Antes dos aplausos

Muito antes da primeira aula, ou da primeira apresentação artística desta edição, muita gente já estava vivendo na emoção deste Encontro. Lá na África, em Maputo, a capital de Moçambique, jovens músicos do projeto Xiquitsi começaram a se preparar para audições. Na metade de junho, Jéssica, Mário e Florêncio souberam que estavam selecionados para vir ao Brasil e, entre outras coisas, participarem do Encontro de Cordas. Eles fizeram a viagem mais longa de suas vidas e chegaram radiantes. Na mesma época, os jovens músicos do “Ambiente Musical “ do IASA, de Santa Cruz Cabrália, decidiram romper com qualquer obstáculo financeiro e fizeram o “Bistrô do Bem”, um jantar beneficente, que custeou as despesas de viagem da moçada, que curtiu muito os dias em Teixeira.

Esses são apenas alguns exemplos, afinal, essas crianças, adolescentes e jovens, diariamente se preparam, lapidam sua própria arte e vencem suas barreiras particulares para chegarem aos ensaios, aonde muitos chegam a pé depois de terem atravessado a cidade, literalmente, com seus instrumentos nas costas. Mas eles não reclamam, pelo contrário, comemoram cada novidade e celebram todos os aplausos merecidamente recebidos.

Correria nos bastidores, concertos e andanças

E foi desse jeito que muitos chegaram para o credenciamento na Igreja Batista Memorial (IBM) na manhã dia 17. A equipe de produção já estava “a mil”. Enquanto uns conferiam listas de inscrição, outros preparavam crachás, salas, instrumentos. Teve ainda a organização de casas, quartos de hotel, camas e colchões para abrigar os visitantes. Muitos professores vieram de fora, de Salvador, Paraguai, Portugal… Junto a isso, ainda havia a preparação para o 2º Colóquio Nacional de Educação Musical, que foi a parte acadêmica do Encontro. Uma loucura saudável, capaz de cansar e reenergizar quem se envolveu.  Passada a etapa inicial, começaram as aulas, “Master Class”.

A rotina diária dos músicos e da equipe organizadora era de ensaios matutinos, apresentações em espaços públicos, atendimento à imprensa, ensaios vespertinos,  e à noite concertos e louge, nessa ordem.

Em contrapartida, o público reagia indo aos concertos na IBM – que manteve média de 300 pessoas por noite – apreciando as apresentações públicas, reconhecendo o trabalho desenvolvido com aplausos em pé e muitos elogios. Pais e mães se emocionavam  com o desempenho dos seus filhos.  Na terça-feira, os Jovens Solistas e Quinteto de Sopros da Oca participaram com “Música de Câmara” do NEOJIBA (Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia).  Na quinta-feira, teve mudança na rotina e no endereço. Três ônibus e van estacionaram em Ibirapuã. Era o dia de aniversário do município que foi festejado com o “Concerto Pela Paz”. A Prefeitura cuidou de cada detalhe na Praça Geraldo Chácara, que estava linda e ficou lotada. As autoridades locais marcaram presença, entre elas, o prefeito Calixto Antônio Ribeiro.

Também na quinta-feira, começava no Campus X da Universidade do Estado da Bahia – UNEB, o 2º Colóquio Nacional de Educação Musical com o tema “A influência de Movimentos Musicais na Produção Musical Brasileira como recurso didático no Ensino de Música”. Durante dois dias, houve om palestras e discussões orientadas pelo Prof Me Alexandre Vargas, da FUNCEB; Profa Me Liliane Fernandes, UNEB; Maestro Orley Silva, ICED e Profa Dra Simone Braga, UEFS; e também intervenções artísticas. “Um momento relevante  que se propôs a oferecer música de qualidade e espaço para aprendizagem e reflexão acerca do tropicalismo, movimento que impactou o cenário da produção artística brasileira”, como considerou a mestra Liliane Fernandes.

De olho em 2018

A sexta-feira foi de casa cheia  e o sábado de lotação total, com a presença de autoridades políticas como a deputada estadual Maria del Carmen e o deputado federal Nelson Pelegrino. No palco, uma explosão de talentos. No repertório o erudito se encontrou com a MPB e ganhou os espectadores que passaram a interagir com palmas, coreografias, cantos e muitos aplausos.

“Foi lindo, encantador. Esse trabalho é de uma riqueza incrível. Eu sempre me emociono com o trabalho do ICED e não consigo entender como alguns gestores não se sensibilizam em manter e promover um programa de inclusão social como esse.”, desabafou emocionada, a deputada. Nelson Pelegrino, que conheceu o Programa há dois anos enquanto era Secretário de Turismo da Bahia, fez um apelo aos cidadãos teixeirenses: “Não percam esse maestro, esse talento que é o Orley (coordenador artístico do Encontro de Cordas e Idealizador do ICED), com tanta dedicação a essa cidade e a essas crianças que ele adotou. Eu volto para casa em êxtase depois dessa apresentação”.

O Encontro de Cordas é um projeto dentro dos programas de ações do ICED com a finalidade de criar oportunidades para a formação e atuação dos jovens músicos, futuros profissionais, que encontram um espaço propício para vivenciar performances.  O projeto tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia. Assim como os tropicalistas deram um histórico passo à frente no meio musical brasileiro, sintonizando a eletricidade com as informações da vanguarda erudita, o 5º Encontro foi um momento de progresso na vida dos alunos participantes.  Ano que vem tem mais. Aguarde!