Eunápolis enfrenta infestação de escorpiões, informa CCZ

Depois da morte de uma criança de 7 anos em consequência de uma picada de escorpião, na última segunda-feira (8), em Eunápolis, a Secretaria Municipal de Saúde divulgou nota informando que está em alerta para a proliferação desse inseto verificada em alguns bairros da cidade.

Agentes de Combate a Endemias estão intensificando as visitas às localidades onde houve ocorrências. Para o diretor do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) do município, o veterinário Ricardo Batista, Eunápolis vive uma infestação e a população deve tomar alguns cuidados para evitar o contato direto com o inseto da família dos aracnídeos. escorpiao

O diretor do CCZ afirma que a proliferação do inseto está relacionada ao impacto ambiental causado pela ocupação urbana, que aumentou a cadeia alimentar dos escorpiões, principalmente as baratas. Ele disse ainda que equipes do CCZ visitam regularmente as residências orientando os moradores sobre quais cuidados tomar.

O escorpião amarelo, cujo nome científico é Tytius serrulatus, é a espécie mais encontrada em Eunápolis e a mais perigosa da América do Sul. Para Ricardo, a população pode contribuir muito para diminuir o número de escorpiões e evitar picadas, seguindo as orientações dos agentes de saúde.

Orientações

Os escorpiões têm hábitos noturnos e costumam se esconder durante o dia sob cascas e folhas caídas de árvores, pedras, tijolos, troncos podres, madeiras empilhadas, fendas, muros e porões, além de locais onde se acumula o lixo doméstico. São mais ativos durante os meses quentes do ano (verão), mas em épocas de muita chuva podem sair em busca de abrigo em áreas secas e residências.

Em caso de picada do inseto, deve-se lavar o local com água e sabão e encaminhar a vítima imediatamente para o serviço médico mais próximo (preferencialmente levando o animal que causou o acidente, para identificação de suas características).

Nos acidentes considerados leves, a pessoa apresenta inchaço, vermelhidão, calor e pelos eriçados no local da picada. Nos casos moderados, somam-se sintomas como vômitos, náuseas, hipertensão e taquicardia. Segundo os especialistas, os acidentes graves provocam vômitos intensos e frequentes, muita sudorese, agitação, aumento ou diminuição da frequência cardíaca, arritmias, contrações musculares, edema e choque.

Não é aconselhável usar inseticidas para combater os escorpiões, porque o desalojamento temporário pode favorecer a dispersão dos focos e o aumento da população do animal.

– É preciso manter quintal, jardim e arredores da residência sempre limpos, evitando plantas de muita folhagem.

– Não se deve jogar lixo e entulhos próximos a residências. O lixo é um bom ninho para os escorpiões.

– Eliminar latas, cacos de telhas e outros objetos que possam acumular água. Os escorpiões têm necessidade de água.

– Eliminar as baratas, que são o alimento preferido dos escorpiões.

– Tampar ralos de chão, pias e tanques.

– Observar com cuidado os panos de chão e as roupas úmidas antes de apanhá-los.

– Observar com cuidado sapatos e roupas, sacudindo-os antes de calçá-los ou vesti-los.

– Não matar sapos e lagartos. Para as galinhas o escorpião é um bom prato.

– Ter cuidado para não ser picado nas mãos, ao mexer em montes de lenha, tijolos, entulhos, folhagens e buracos.

– Manter as camas afastadas da parede.

– Rebocar paredes e muros para que não apresentem vãos e frestas.

– Evitar plantas ornamentais densas, arbustos e trepadeiras junto a paredes e muros das casas. Os escorpiões usam como meio de acesso à residência. Fonte: Radar64

Matéria relacionada:

Criança de 7 anos morre após ser picada por escorpião