Delator da Odebrecht diz ter pago R$ 9 milhões em caixa dois a Aécio Neves

Assessoria de imprensa do tucano confirma que ele solicitou apoio para “inúmeros candidatos”, mas nega que a ajuda tenha sido feita por caixa dois

Pedido de ajuda ao PSDB teria sido feito pelo próprio Aécio Neves, que em 2014 concorria à Presidência da República
Pedro França/Agência Senado – 2.5.16

Pedido de ajuda ao PSDB teria sido feito pelo próprio Aécio Neves, que em 2014 concorria à Presidência da República

O ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura Benedito Júnior, um dos delatores da Operação Lava Jato, disse em depoimento ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta quinta-feira (2), que a empreiteira baiana doou R$ 9 milhões em caixa dois para campanhas eleitorais do PSDB, em 2014.

De acordo com Benedito Júnior, a doação teria sido feita a pedido do então candidato à Presidência da República Aécio Neves. Ele teria solicitado doação de recursos para outros candidatos da legenda, já que na época era presidente do PSDB .

O executivo relatou que a Odebrecht repassou R$ 200 milhões para todas as campanhas de 2014. Desse montante, R$ 120 milhões foram transferidos de forma oficial, R$ 40 milhões po caixa dois de terceiros e outros R$ 40 milhões por caixa dois.

Benedito não afirmou que se encontrou ou que tenha tratado das doações diretamente com Aécio. A audiência, realizada na sede do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, no Rio, faz parte da Ação de Investigação Judicial Eleitoral aberta a pedido do próprio partido tucano contra a chapa Dilma-Temer, por suspeita de abuso de poder econômico na campanha de 2014.

A assessoria de imprensa do tucano confirma que ele solicitou apoio para “inúmeros candidatos”, mas que jamais pediu que a ajuda fosse feita por meio de caixa dois.

De acordo com o jornal Folha de S.Paulo , questionado sobre o assunto, o advogado de Aécio Neves, Flávio Henrique Pereira, afirma que “em momento algum o depoente afirmou que o senador pediu contribuição por meio de caixa dois, mesmo porque isso nunca ocorreu”.

Que candidatos se beneficiaram?

Segundo o depoimento de BJ, a Odebrecht repassou R$ 6 milhões para serem divididos pelas campanhas de Pimenta da Veiga, Antonio Anastasia e Dimas Fabiano Toledo Júnior. Ainda de acordo com ele, outros R$ 3 milhões foram para o publicitário Paulo Vasconcelos, responsável pela campanha presidencial de Aécio Neves.

Pimenta da Veiga foi o candidato do PSDB derrotado ao governo de Minas, em 2014, e Antonio Anastasia foi eleito ao Senado pelo mesmo partido. Já Dimas Fabiano foi eleito deputado federal aquele ano pelo PP mineiro. Ele é filho de Dimas Toledo, ex-diretor de Engenharia de Furnas, acusado de operar um esquema de propina na estatal.