Corpo do vereador Tonhão de Almerindão é sepultado

Homem ativo e acostumado com a vida do campo, após doença Tonhão teve que passar a conviver com os leitos hospitalares
Homem ativo e acostumado com a vida do campo, após doença Tonhão teve que passar a conviver com os leitos hospitalares

Itamaraju: O seu sofrimento com as complicações renais já era acompanhado há vários meses por familiares e pela população itamarajuense e no final da tarde de quinta-feira, 8 de maio,  ele acabou não resistindo e veio a óbito em um leito do Hospital Municipal de Teixeira de Freitas. Antônio da Silva Pires, mais conhecido por Tonhão de Almerindão (PSB), de 47 anos, era vereador de segundo mandato por Itamaraju, mas como ele mesmo gostava de falar, ocupava uma cadeira no Legislativo Municipal por Piragi, distrito que fica distante cerca de 70 quilômetros da sede, local onde residia com sua esposa Rosineide e um casal de filhos.

No início de 2013 os médicos constataram que Tonhão de Almerindão estava perdendo muito rapidamente a capacidade de enxergar, supostamente pelo motivo de ter tido um derrame nas córneas. Pouco tempo depois foi diagnosticado que o vereador itamarajuense passava a enfrentar um dos maiores dramas pessoais de sua vida, já que seus rins estavam deixando de funcionar ou funcionando com capacidade reduzida. Desde então, Tonhão passou ser paciente renal, tendo que ir obrigatoriamente três vezes por semana em Eunápolis, onde passava por sessão de hemodiálise.

Mais recentemente, já magro e debilitado, o vereador itamarajuense sofreu complicações cardíacas, passou por um procedimento cirúrgico fora da região e desse tempo pra cá, vinha sempre sendo acompanhado por médicos especialistas. E na noite de quinta-feira 8 de maio, após passar por alguns dias internado no Hospital Municipal de Teixeira de Freitas, Antônio da Silva Pires não resistiu e veio a óbito.

No início da manhã de sexta-feira, 9 de maio, o vereador Rubens do Hospital (PR), atual presidente da Câmara de Itamaraju, lamentou a morte do colega e afirmou que o município perde um dos homens mais corretos da sua vida pública. “Perdemos um grande companheiro e Itamaraju vai sentir muita falta de um dos seus líderes. Além de Piragi, seu maior reduto eleitoral, Tonhão era a voz do interior no Legislativo”, disse. O nome Tonhão de Almerindão foi adquirido desde sua infância, graças ao seu pai, um produtor rural mais conhecido por Almerindão. A família de Tonhão diz que a notícia de sua morte, apesar de seu sofrimento, representa uma dor muito grande, especialmente por sua função de líder familiar. O corpo foi enterrado às 16h de sexta-feira, 9 de maio, no Cemitério São Cosme e São Damião, na cidade de Itamaraju. O velório aconteceu no plenário da Câmara Municipal de Vereadores.

Suplente

Com a morte de Tonhão de Almerinão (PSB), será empossado na vaga Almerindo Oliveira do Nascimento, o Irmão Almerindo (PSC), de 57 anos, que na eleição obteve 587 votos e ficou na primeira suplência. Tonhão havia sido eleito com 704 indicações. Na composição política, a Câmara não deve mudar muito, pois como Tonhão, Almerindo também é um aliado do prefeito Pedro da Campineira (PSD). (Por Ronildo Brito)