Colégio da Polícia Militar está sem merenda desde junho

Após denúncias à imprensa teixeirense de que os alunos do tradicional Colégio da Polícia Militar (CPM), antigo Colégio Estadual Anísio Teixeira, instalado no bairro da Bela Vista, estão sem merenda escolar desde junho, foram feitas apurações e constatado o fato.

O Colégio foi fundado em 12 de setembro de 2006, e, desde então, o CPM deu início à sua trajetória educacional, não tendo, até o presente momento, questionamentos quanto à educação oferecida, já que todos sempre demostraram estar empenhados em se tornar referência na prestação de serviço educacional público, de ensino regular no Extremo Sul da Bahia, tendo como meta a valorização do ser humano na formação do cidadão, alicerçado nos pilares da ética, da responsabilidade, da disciplina, da transparência e do compromisso na preparação dos jovens para a vida.tn_CPM-112

 

Além desses pressupostos, o CPM busca despertar também o gosto pela carreira militar em seu alunado. Mas, desde o mês de junho, estes alunos estão sem merenda escolar, o que, visivelmente, tem prejudicado o aprendizado. “Estamos sem merenda há mais de três meses e nosso horário é das 06h45 às 12h30, sendo que nem todos têm como trazer diariamente dinheiro para lanchar. Temos que trazer o lanche de casa ou ficar com fome, onde muitas vezes passamos mal. A diretoria nos informou que a verba não chegou ao colégio, queremos saber o porquê?”, questiona um aluno.

“Tínhamos um cardápio variado, entre sopas, biscoitos, sucos, caldo de pinto, arroz com frango, macarrão com carne, e, claro, bom ou ruim, sentimos falta, afinal, temos que estar bem alimentados para aguentarmos a jornada de estudos e exercícios”, acrescenta outro aluno. Tentamos falar com a coordenadora pedagógica do CPM, Marlene Matos, que é a responsável direta pelas verbas para a merenda, mas, fomos informados que ela estava de férias. Então, conseguimos entrevistar o Cap. PM Leonardo Álvaro Vieira Pereira, diretor-geral do Colégio, que esclareceu que o CPM é fruto de um convênio entre a Polícia Militar e Secretaria de Educação do Estado da Bahia. Em função disso, existem duas secretarias e dois representantes gerindo a escola, que é o cap. Álvaro e a coordenadora Marlene Matos, os quais são responsáveis pela gestão da escola. O cap. Leonardo afirmou que realmente a unidade escolar está sem merenda. “A merenda escolar é gerida através de recursos repassados pela Secretaria Estadual de Educação. As secretarias estão mudando a forma de adquirir o alimento, já que é fornecido por uma empresa indicada através de um procedimento chamado de ‘credenciamento’. E devido à adaptação da escola a este novo sistema, gerou um período onde não tivemos condições de adquirir os itens”, disse o diretor.

Mas, segundo o ele, este problema está sendo solucionado e acredita que nesta próxima terça-feira, 9 de setembro, os alunos já tenham a merenda. “Estamos aqui à frente da escola para gerir os problemas, e buscamos resolvê-los em um menor tempo possível”, esclarece o cap. PM Leonardo Álvaro Vieira Pereira, diretor-geral do CPM.

 

Por: Mirian Ferreira/Liberdadenews