Cerca de 180 soldados ucranianos foram mortos em um mês na Ucrânia

Cerca de 180 soldados ucranianos foram mortos em um mês na batalha de Debaltseve (Leste da Ucrânia) e 81 continuam desaparecidos, revelou hoje (21) Iuri Biriukov, conselheiro do presidente ucraniano, Petro Poroshenko. De 18 de janeiro a 18 de fevereiro, 179 soldados foram mortos, 110 feitos prisioneiros e 81 estão desaparecidos, escreveu Biriukov na sua página da rede social Facebook.

Os números fazem de Debaltseve, abandonada na quarta-feira(18), a batalha mais mortífera para as forças ucranianas desde o início do conflito no Leste da Ucrânia, que em dez meses causou cerca de 5,7 mil mortos.

“Estes dados não estão completos” pois “a maioria das unidades foi misturada e dispersada” durante violentos combates em Debaltseve, nó ferroviário estratégico do Leste da Ucrânia praticamente cercado durante várias semanas pelos combatentes separatistas pró-russos, indicou Biriukov, adiantando que “o número de mortos será maior”.

Cerca de 2,5 mil soldados ucranianos abandonaram Debaltseve na madrugada de quarta-feira, depois dos rebeldes terem conseguido entrar na cidade e começado violentos combates de rua. Os combatentes separatistas eram “cinco a sete vezes” mais numerosos que os soldados ucranianos, disse Biriukov.

Os rebeldes pró-russos anunciaram ter encontrado os corpos de 57 soldados ucranianos nos escombros da cidade e, segundo Iuri Biriukov, afirmam ainda deterem entre 153 e 300 soldados ucranianos capturados em Debaltseve.