Caso J.U: família Guimarães relata como acorreu a tragédia

empresário foi assassinado e mais duas pessoas feridas 

Essa semana a família Guimarães resolveu quebrar o silêncio e abrir o jogo sobre tudo que aconteceu na tarde de 19 de agosto de 2014.  Em duas páginas enviadas a imprensa a família mostra contratos assinados pelas duas partes e descreve que o ato do acusado Danilo Úngaro foi premeditado e que teve o consentimento do seu pai Jadir Úngaro.

JU HungaroA JU Ungaro e Agro Pastoril LTDA firmou com Juliano Guimarães Silva uma parceria agrícola através de um contrato datado em 04/06/ 2014 tendo como objeto a colheita de café plantado em uma das fazendas da família Úngaro. O acordo tinha cláusulas que mencionavam que depois de contabilizados os gastos e quitados com a produção cada um ficaria com a sua parte no negócio.

A família Guimarães relata em nota que a família Úngaro estava desesperada pelo dinheiro e que por esse motivo no dia 19 de agosto partiram para o tudo ou nada.

“Fizemos o que podemos por eles, estávamos trabalhando com um objetivo de que ambas as partes saíssem bem no negócio. A única explicação para o que aconteceu é que outra ação de fora os motivaram a fazer tamanha barbárie” relatou uma das vítimas.

A família Guimarães afirma que o acusado dos crimes Danilo Úngaro e seu pai Jadir, antes do episódio proibiram a saída do café colhido na fazenda e foram ao escritório da família Guimarães determinados a quebrarem a cláusula contratual que previa o termino da parceria caso Juliano Guimarães Silva morresse.

No dia do episódio a família Guimarães relata que pai e filho chegaram ao local alterados e que Danilo alegava que as coisas deveriam ser conforme o mesmo almejasse. Nelson Guimarães falou que existia um contrato a ser cumprido e que ele não poderia feri-lo. De forma estúpida Danilo disse que viraria a mesa e assim fez. Em seguida foi a bolsa pegou uma pistola e atirou na direção de Juliano, depois contra Rogéria e posteriormente foi atrás de Nelson que escondeu atrás de uma porta e mesmo assim foi assassinado.

Testemunhas relatam que após realizarem a covardia, pai e filho saíram tranquilamente do local e que ao notarem que Juliano conseguiu sair do local ferido para pedir ajuda, ainda perguntaram pela vítima.

Em uma ação rápida a Polícia Militar, Civil e Caema prendeu um dos acusados Danilo Úngaro horas depois do episódio tentando fugir da região. Nelson Guimarães infelizmente faleceu no local, Rogéria sua esposa passou por uma cirurgia delicada, retirou o baço e permanece em casa em recuperação. Juliano que teve um dos pulmões perfurado passou por uma cirurgia e está em casa se recuperando da tragédia.

A polícia Civil indiciou Danilo Úngaro pelo homicídio e tentativas. O mesmo está preso no Presídio de Teixeira de Freitas. Jadir Úngaro também foi indiciado no processo que foi levado ao Ministério Público e que aguarda conclusão do inquérito e decisão Jucial. Acompanhem a nota entregue a imprensa pela família Guimarães. Fonte: portal n3

Veja a nota: Nota1 Nota2