Aécio ‘não é homem sério e de respeito’, afirma Lula em Pernambuco

Em discurso na tarde desta terça-feira (21) em Goiana, no interior de Pernambuco, o ex-presidente Lula disse que o tucano Aécio Neves (PSDB) mostrou que não é um “homem sério e de respeito” por ter atacado a presidente Dilma Rousseff nos debates na TV.

“Eu fico incomodado quando eu vejo, num debate da televisão, o adversário ficar ofendendo a presidente, ficar dizendo que ela é leviana, ficar chamando de mentirosa. Só pode fazer isso alguém que não aprendeu a educação no berço.”

Ao lado de Dilma, num palanque armado na cidade, Lula prosseguiu o ataque: “Porque um homem de respeito, um homem sério, um homem que quer governar este país, diante da presidenta da República, ele tem que respeitar.”

“Agora eu ficou me perguntando: será que ele teria coragem de fazer as grosserias que ele faz com você se fosse um homem [candidato]?”

Lula e Dilma durante encontro com intelectuais no TUCA, em SP
Lula e Dilma durante encontro com intelectuais no TUCA, em SP

Segundo Lula, Dilma jamais se amedrontaria diante de Aécio num debate porque “ela já ficou na frente de torturador”, numa referência ao período em que a petista foi presa e torturada por agentes da ditadura militar.

Dilma agora se acostumou a fazer comícios de campanha, segundo Lula. “A bichinha agora adora um comício. Ela, se podia, fazia um por dia”, disse o ex-presidente.

Para Lula, a presidente, candidata à reeleição, está “matando os tucanos de inveja” por ter reunido na manhã desta terça milhares de moradores de Petrolina (PE) e de Juazeiro (BA) num mesmo evento na cidade pernambucana.

A diferença da petista, segundo Lula, é que Dilma levou água para o Nordeste, ao construir milhares de cisternas, enquanto “o governador de São Paulo [Geraldo Alckmin], que é tucano, está deixando faltar água” no Estado.

A cada ataques aos tucanos os presentes gritavam e aplaudiam o petista.

Lula também criticou o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, ao lembrar entrevista na qual o tucano disse que o PT está “fincado nos menos informados”. “Temos que dizer para este senhor e para outros senhores que acreditam que a gente não tem formação, que a gente tem tanta formação, que a gente resolveu nunca mais votar num tucano para governar o nosso país.”

Antes de entregar o microfone à presidente, fez um pedido: “Vocês têm obrigação de me dar de presente a eleição da Dilma porque eu faço aniversário na segunda-feira”.

Dilma falou a seguir e disse que seus adversários “vestiram pele de cordeiro” para esconder seus preconceitos com o Brasil.

“Eles olham para o Nordeste e não veem a imensa força desse povo.”

E, ao final, pediu as presentes a combater o que chamou de “mentiras” dos tucanos na campanha eleitoral.

“Não vamos deixar o Brasil voltar pra trás. O nosso rumo é pra frente, mais mudança, mais futuro, mais crescimento para todos nós. Vão pra ruas, debatem, deem os argumentos para que nós possamos combater coma verdade as mentiras que eles propagam”, disse, até ser interrompida por gritos de “Dilma guerreira, do povo brasileiro”. Folha SP