Ações da OGX lideram altas do Ibovespa e recuperam parte das perdas dos últimos dias

Agência Estado

Beth Moreira e Lucas Hirata, da Agência Estado

SÃO PAULO – As ações das empresas do grupo EBX, do empresário Eike Batista, abriram com forte alta nesta quinta-feira, após novas notícias sobre a reestruturação do grupo e a já anunciada saída do empresário da presidência do conselho da MPX. Há pouco, OGX subia 15,38%, cotada a R$ 0,45, liderando o grupo de maiores altas do Ibovespa. No mesmo momento, o principal índice da Bolsa subia 2,03%, aos 45.958 pontos.

Na sequência aparecem MMX com ganhos de 11,63%, que acabou entrando em leilão após atingir a oscilação máxima permitida de 10% sobre o preço da abertura, e LLX com alta de 10%. Ainda no grupo, OSX (+7,83%) e CCX (+10,61%). MPX, por sua vez, sobe 10,08%. Além da saída de Eike, o conselho da empresa de energia aprovou aumento de capital de R$ 800 milhões.

O aumento de capital e a saída de Eike foram considerados positivos por analistas do setor. Além de tirar o risco “Eike”, a avaliação é de que a companhia passará a ter um player experiente – a sócia E.On – a frente da empresa. Para a equipe de análise da Brasil Plural, o aumento de capital ao preço de R$ 6,45 e a saída de Eike Batista do controle da MPX retiram os principais obstáculos da empresa. “Consideramos o preço estabelecido extremamente atraente, por implicar um custo de gás natural altamente favorável para o investimento”, afirmam.

A MPX Energia informou em um fato relevante nesta quinta-feira , 4, que Eike Batista renunciou ao cargo de presidente e membro do Conselho de Administração da empresa, válido desde a data de ontem (03). Segundo o documento divulgado pela empresa, uma assembleia geral será convocada em breve para as resoluções sobre aceitação da renúncia de Eike e a alteração da denominação social da MPX Energia, com as devidas alterações ao estatuto social da companhia e demais adaptações à imagem e marca.

A mudança de nome da MPX e a saída de Eike são medidas para desvincular a empresa da imagem do empresário, tentar valorizar suas ações e possibilitar sua venda dentro de alguns meses. A MPX é hoje a empresa mais valiosa dentro do grupo de Eike e peça central no plano de reestruturação do grupo.

(Com David Friedlander e Ricardo Grinbaum, de O Estado de S. Paulo)