AATF renova diretoria para disputar a Segunda Divisão do Baiano

 A Associação Atlética Teixeira de Freitas (AATF), entidade futebolística profissional fundada em 1995, que participou do Campeonato Baiano da Segunda Divisão durante cinco anos, de 1996 a 2001, e, na ocasião, deu muitas alegrias a torcida teixeirense, apesar de não ter conseguido os seus objetivos, que era chegar à divisão de elite do futebol baiano. Dentre os motivos, na época, muito se comentou que foi a falta de um Estádio, sendo que a própria Federação Baiana de Futebol (FBF) não demonstrava interesse que o clube subisse, pois ele não teria como mandar os seus jogos, além da distância de mais de 700 km que separa a capital, Salvador, de Teixeira de Freitas.Alguns componentes da Nova Diretoria

Nos primeiros quatro anos, o clube esteve sob a presidência de Renato Garcia e, apesar das dificuldades, fez uma gestão considerada satisfatória para a época, mas, se dissolveu com sua mudança para o Rio de Janeiro. Mesmo assim o Clube ainda disputou a competição em 2001, sob o comando interino do senhor Delcik Nunes de Almeida (Ataleia), porém, o mesmo não chegou a assumir oficialmente a presidência da entidade futebolística e, a partir de 2001, a AATF não mais competiu.

A presidência do Clube foi passada oficialmente de Renato Garcia para o senhor conhecido na ocasião por Toninho do Mamão, e a partir desta ocasião foi desativada, apesar das tentativas de retorno às competições. Após a gestão, digamos, fracassada de Toninho, a presidência foi passada para José Carlos de Oliveira, em meados de 2002, e a mesma se encontra até hoje, sob a sua administração, contudo, com as atividades paralisadas, pelos motivos já citados: falta de estádio, parcerias e patrocínios.

Com o retorno de Naldo, Galego e Baixinho a Teixeira de Freitas, a cerca de dois anos, e a convite de José Carlos, se voltou a pensar no retorno do Clube às atividades, pelo fato das obras do Estádio Robertão em Teixeira de Freitas estarem em andamento. Além da experiência adquirida pelos desportistas da Família Reis e Góis, Naldo e Baixinho, que fundaram na cidade de Rio Bonito um clube de futebol profissional e que sobreviveu durante dois anos disputando a Segunda Divisão no Rio de Janeiro.

E essa ideia foi colocada em prática no início deste ano, há, aproximadamente, 90 dias, as primeiras reuniões ocorreram e alguns jogadores, mesmo em condições nada ideais, voltaram aos treinamentos. Nos últimos 60 dias, a iniciativa do clube retornar as atividades ganhou força, foram feitos os primeiros contatos com a diretoria da FBF, e a pedido da mesma o presidente José Carlos com a parceria já firmada com Naldo, Galego, Baixinho, entre outros integrantes da família, resolveram reformular e reativar a diretoria da Associação Atlética Teixeira de Freitas, para que o Clube possa ser inscrito na Segunda Divisão de profissionais da Bahia, e ter sua regularização definitivamente perante a entidade que já está praticamente concluída.

Na noite de quarta feira (25/9), o presidente José Carlos de Oliveira se reuniu com os integrantes da Família Reis e Góis e convidados para definir e homologar a nova diretoria do Clube, que confirmará a participação na seletiva da Segunda Divisão, se houver, e no campeonato de acesso de 2013.

José Carlos de Oliveira foi mantido na presidência do Clube, assim como o radialista Amadeu Ferreira de Oliveira, escolhido como primeiro vice-presidente, tendo como diretor de esporte Ely Reis e Góis. O complemento da diretoria será efetuado ainda neste final de semana, segundo informação do presidente, no entanto, todos os nomes já foram escolhidos, faltando apenas à homologação. Por Amadeu Ferreira.