2 toneladas de alimentos da merenda escolar são apreendidas em mercado de Teixeira

Mais de duas toneladas de merenda escolar foram apreendidas durante uma operação conjunta entre o Ministério Público da Bahia (MP-BA) e a Polícia Civil em Teixeira de Freitas. As mercadorias com selos do programa governamental “Parceiros da Escola” eram vendidas em três estabelecimentos comerciais: Distrisul, no bairro São Pedro, Supermercado Padaria Colina Verde e Supermercado Teixeira, no São Lourenço, todos pertencentes a um mesmo empresário, que não foi encontrado para comentar o ocorrido. A apreensão ocorreu na última sexta-feira (29/8).toneladas

“Após a denúncia ao MP, nós da Polícia Civil fomos acionados para executar uma fiscalização em estabelecimentos comerciais, onde teriam irregularidades. Destes, verificamos que três estabelecimentos estavam vendendo a mercadoria irregular”, informou em entrevista ao G1, Marcus Vinícius Almeida, coordenador da 8ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin).

Segundo ele, foram encontrados 2.168 sacos de produtos com 1kg cada. Entre os alimentos comercializados estavam açúcar, feijão e farinha de mandioca, que estão estocados na Promotoria de Justiça da cidade.

Após a operação, três gerentes dos três estabelecimentos foram autuados em flagrante. “Eles foram autuados pelo crime do artigo 180, do parágrafo 1º do Código Penal, pela receptação qualificada e venda irregular de produtos em estabelecimentos comerciais”, explicou o coordenador. Os três suspeitos estão custodiados na sede da 8ª Coorpin de Teixeira de Freitas e alegam não saberem como os produtos foram parar nas prateleiras dos estabelecimentos que coordenam.

De acordo com Marcus Almeida, as investigações seguem no sentido de identificar o desvio. “O programa Parceiros da Escola terá que informar quem repassou esses alimentos para identificarmos de onde veio”, concluiu.

Investigações

De acordo com informações do MP, “as investigações ainda estão em curso, pois está em fase de responsabilização dos envolvidos. Por conta disso, nenhuma informação pode ser passada”. Os promotores que estão à frente do caso são Anselmo Lima Pereira e Anna Kristina Santos Lehubach Prates.

Segundo a Diretoria Regional de Educação, os produtos não eram destinados a nenhuma escola estadual. Erisvaldo Souza, responsável pela Coordenação de Organização e Atendimento da Rede Escolar da Direc9, relatou que o secretário de Educação de Teixeira de Freitas informou que as escolas do município não recebem estes alimentos.

Por Pauta Diária com informações do G1