​​Teixeira de Freitas realiza campanha de enfrentamento ao trabalho infantil

A exploração do trabalho é uma violação de direitos de crianças e adolescentes que se perpetua no Brasil há séculos, por uma concepção cultural que legitima o trabalho como uma forma de educar e construir valores desde a infância. Num trabalho de mudança de concepção, acontecerá neste verão uma Campanha de Enfrentamento ao Trabalho Infantil, com a temática “Qual infância deve ser lembrada pelo seu filho? ”.

As atividades práticas serão iniciadas em Teixeira de Freitas nesta quarta-feira (26), num encontro com a rede (CRAS, CREAS, MPT, MPVIJ, CONTEF, Instituições de Ensino Superior e outros). Nos dias seguintes serão realizadas rodas de conversa nos diferentes CRAS do município e o encerramento será no dia 05 de Dezembro, com Blitz Educativa na Praça da Antiga Prefeitura.

campanhaA Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente é responsabilidade de toda a sociedade. Cabe a cada um fazer a sua parte, seja nas esferas complementares da formação ou na atenção integral. A realidade do trabalho infantil exige pontos que merecem destaque, especialmente durante a estação mais quente do ano, quando é notório o aumento nas ruas no número de crianças e adolescentes trabalhando, principalmente em regiões próximas ao litoral, quando há também mais oportunidades de comercializações devido ao turismo, principalmente no que se refere aos serviços ambulantes.

Uma das causas que justifica tal realidade neste período é a ausência da escola no decurso das férias. Este fato traz a tona uma segunda e preocupante reflexão por conta dos riscos desta prática, como: fadiga, desidratação, lesões musculares e problemas de desenvolvimento devido às extensas jornadas de trabalho, longas caminhadas carregando peso e exposição solar. Além disto, podem-se citar crianças que atuam como garçom nos bares, quiosques e restaurantes.  O comércio ambulante e outras atividades realizadas em ruas e vias públicas estão na Lista de Piores Formas de Trabalho Infantil (Lista TIP), da Organização Internacional do Trabalho (OIT). Entre os agravantes desta prática estão a exposição à violência, drogas, doenças, gravidez indesejada, assédio sexual e tráfico de pessoas; exposição à radiação solar, chuva e frio; acidentes de trânsito; atropelamento, entre outros. (Da redação)